quarta-feira, 3 de novembro de 2010

A NOVA VIDA COMEÇOU

O gentes, me desculpem pelo chá de sumiço, mas é que além de estar acontecendo mil coisas aqui, o teclado desse pc resolveu que não queria mais funcionar. Mas... eis-me!

Vamo lá!

15/10/2010 -
Acordei um poquinho nervosa, um pouquinho muito ansiosa. Minha mãe me levou pra UNIMED. Chegamos lá às 11:00 em ponto, que foi a hora que marcaram. No fim, era meio dia já e eu ainda estava na sala de espera do bloco cirúrgico. Meu médico fofo passou e agilizou as coisas por lá; ao meio dia já era pra ter começado a me preparar pra ciru, que começaria às 13h. No fim, me chamaram, me troquei e deixei minha mãe chorando na porta. Fiquei com vontade de chorar também. Engraçado que sempre nessas horas não me vem nada que preste na cabeça. Só pensava na Alice (minha filha) e em como ela ficaria sem mim. Coisa de gente louca, mas tudo bem.

Entrei no pré-operatório 12:20h, me deram o Dormonid, e tenho que dizer: não fez efeito nenhum! Uma hora depois eu tava lá, ligadona, só de olho na minha pressão que não descia.

13:15 eu tava entrando no centro cirúrgico. No caminho pra lá, mais um monte de besteiras passavam pela minha cabeça e uma vontade de sair correndo quase me dominou. Eu falei pro anestesista - que foi um fofo! - que só não iria correr porque talvés o Dormonid resolvesse fazer efeito e eu não queria cair como um abobrão com a bunda de fora no corredor. Aí me colocaram aquela botinha deliciosa que infla e desinfla e já dei uma relaxadinha. Pedi pra enfermagem não amarrar meu braço muito erguido por causa da bursite, mas eles acabaram enrolando no lençol da própria maca. Só me lemro de ter olhado pro relógio e ter visto lá 13:21. O anestesista deu deu "aquele cheirinho" e viajei... Vergonha!!! Tive uma crise de gargalhada, o Rafael entrou e eu queria muito pegar a mão dele. Apaguei.

Acordei no pós-operatório às 17:30 com a enfermeira me mandando respirar. Tava saturando 96% e me senti muito incomodada com a máscara. Melembro de ter dito que queria remédio, embora não lembrar se tive dor ou não; e sede, affff Maria, muita sede.

Fui pro quarto já era noite e minha mãe entrou com uma cara muito assustada no quarto. Tadinha! Ela também achava que eu ia morrer. rsrsrsrs Me ajudou a levantar e tomar um banho por que eu tava desesperada, toda suada... Um horror! 

Até as 23:00, recebi telefonemas do pessoal querendo saber como eu estava e minha amiga conseguiu entrar lá pra me ver depois das 22h porque disse que era minha irmã e que precisava me ver de qualquer jeito! Danada!

16/10/2010-
Acordei cedinho. Muito pouca dor, mas não parava de entrar técnicos de enfermagem pra me medicar. Dormia e acordava. Minha "vizinha" de quarto era uma mulher que sofreu um acidente de carro e teve que fazer uma cirurgia na coluna. Então, imagina que paciente ortopédico é o mais chato no universo, mais manhoso e mais porre. O marido tava acompanhando e eu deduzi que ele só tá com ela por que o pai é fazendeiro no Mato Grosso, por que a mulher conseguiu ser chata... Chamava o cara o tempo todo, pouco colaborativa, manhosa. Um saco. Minha vontade era pegar ela, marido e todas as tralhas dela e jogar janela abaixo sem dó nem pirdade.

O Maridão foi me ver, meu sobrinho, minha mãe, filhota, Cu (minha cunhada fofa), sobrinha. O telefone no quarto tocou muito! Espero ter incomodado a chata até não poder mais.

O pior de tudo foi receber o dia todo água de coco, chá e gelatina que eu não conseguia comer e sentir o cheiro da comida da louca: carne de panela, panqueca... Um terror! Mas passei ilesa! rsrsr

17/10/2010-
Andei pelo hospital e conheci um cara que fez a cirurgia no mesmo dia e e pelo meu cirurgião. Conversamos e voltei pro quarto. O Rafael foi me liberar ao meio dia. Minha mãe foi me buscar e nunca fiquei tão feliz em voltar pra casa e não ter mais que ouvir "-Cristiaaaaaaanoooooooooooooooo!!!".

De lá pra cá, gente, tem sido só alegria! Fui retirar os pontos 10 dias depois e tenho consulta com ele no dia 23/11. Ao todo, já se foram 11 quilos. Acho que foi mais o inchaço mesmo, porque minha canela tá que é só osso. Minha pressão já deu uma regulada e eu nem tô tomando meus remédios!!!

Amanhã é o último dia da 2ª fase da dieta, o que quer dizer que na sexta-feira já posso comer arroz, purê, carninhas. Graças a Deus! Não aguento mais sopa, caldo, creme. Sonho com uma salada de couve, arroz, feijão... Mas tô me aguentando firme e forte! Domingo passado fui votar e na volta passamos na Havan prapesquisar preços de bicicletinha pra Alice. Daddy e bebê almoçaram e eu fiquei só no caldo de feijão; ainda falei pra Respectivo: "-Quando foi que almoçamos assim? 1 executivo pros 3? Antes era um pra ti, um pra mim e ainda comíamos o da Alice." Achei engraçado olhar pro prato e ter a sensação de que não vou conseguir nunca mais dar conta. Fiquei aliviada também. Esses dias ficaram pra trás.

Bom, agora que dei um jeito neste teclado, estarei mais por aqui.

Tenho lido os blogs de vocês mesmo não deixando recadinhos, viu?

Beijinhos e até mais.

Um comentário:

Estilo do Corpo que eu quero pra mim disse...

Amiga, fico feliz que deu tudo certo e que você está se recuperando bem, que maravilha, emagrecer 11 kg em tão pouco tempo e saber que nunca mais voltarão, isso não tem preço que pague.
Beijos no coração!!!